Passar para o conteúdo principal

Soluções técnicas em sistemas de distribuição de gases medicinais face a elevados consumos de Oxigénio Medicinal no combate à Covid-19

  • O aumento contínuo do uso da Oxigenoterapia de alto débito* de suporte respiratório não invasivo durante a pandemia de Covid-19, aliado ao incremento da utilização nos hospitais pelas sucessivas vagas da doença, estão a submeter as instalações de gases medicinais de muitas unidades de saúde a elevada utilização.

 

Como podemos ajudar os hospitais a combater o COVID-19 a partir do sistema de distribuição de gases medicinais - oxigénio?

Consumir oxigénio a alto débito (até 60l/min) em vez dos débitos habituais em oxigenoterapias tradicionais (até 15l/min), tem consequências na referida rede, sendo que o seu impacto depende se esta é de simples ou dupla redução de pressão:

Uma rede de simples redução num serviço hospitalar com uma tubagem de seção de 15mm teria, teoricamente, a capacidade de administrar a 5 bar de pressão, caudal suficiente para 9 pacientes. Se esta rede tiver de alimentar mais pontos que necessitem de oxigénio, não será capaz de fornecer o caudal necessário sem comprometer a restante rede.

Por outro lado, se a referida rede for de dupla redução desenhada de acordo com a Norma EN-ISO 7396-1, com uma pressão da rede primária de 9 bar e uma pressão de administração de 5 bar, com as mesmas seções (15mm), a referida rede primária pode fornecer oxigénio a alto débito para 15 pacientes, e isso não implicará que a restante instalação seja comprometida, permitindo que o hospital continue com a sua atividade normal.

Com uma rede de dupla redução com características como as descritas, a rede primária pode fornecer oxigénio de alto débito a 66% mais pacientes do que uma rede de simples redução, garantindo assim a continuidade da atividade hospitalar no que diz respeito aos gases medicinais.

A Air Liquide Medicinal aposta nos sistemas de distribuição de gases medicinais de dupla redução, os quais aumentam as capacidades de pressão e os caudais de administração, traduzindo isso em segurança para utilizadores e pacientes.

Além disso, os sistemas de dupla redução dotam os hospitais de maior capacidade de resposta, uma vez que as necessidades mudam rapidamente e os diferentes serviços hospitalares exigem uma elevada capacidade de adaptação para fazer face a estas situações de mudança.

Os sistemas de dupla regulação da Air Liquide Medicinal representam mais uma arma na batalha contra o COVID-19.

● A Air Liquide Medicinal realiza o projeto e instalação das redes de gases medicinais em conformidade com as normas europeias: UNE EN-ISO 13485, UNE EN-ISO 7396, FD-S90 / 155. Segurança e fiabilidade comprovadas.

Estabilidade de administração no que diz respeito à pressão e caudal associados.

  • Não há diferenciais de pressão entre os diversos serviços do hospital.
  • Graças à regulação particular exclusiva de cada serviço, o caudal e as pressões de administração prescritas pela Norma EN-ISO 7396-1 são garantidas.
  • Ante picos de consumo, a instalação não sofre oscilações de caudal ou pressão. O mesmo sucede nos horários de pico de consumo.
  • São capazes de fornecer altos fluxos de oxigénio (até 60 l/min) sem que isto afete o normal funcionamento da atividade hospitalar global.

Simplicidade de ampliação do sistema de distribuição de gases medicinais sem que isto afete a rede primária de fornecimento.

A Air Liquide Medicinal está comprometida com os seus clientes em oferecer tecnologias de ponta que se adaptam às suas necessidades e às constantes mudanças atravessadas pelos hospitais atualmente. Sempre atendendo a elevados padrões de qualidade e segurança que garantem o bem estar dos seus pacientes, clientes e profissionais. Para ver o Resumo das Caraterísticas do Medicamento (Oxigénio Medicinal Air Liquide Medicinal, 100% gás medicinal criogénico) e o Folheto Informativo clique aqui.

Para consultar mais informações sobre dispositivos médicos, como é o caso do Sistema de Distribuição de Gases Medicinais clique aqui.

Referências:

*Rochwerg, B., Einav, S., E. A. Burns, K., et al. (2020), The role for high flow nasal cannula as a respiratory support strategy in adults: a clinical practice guideline, Intensive Care Med, 17 novembro 2020, Disponível em:::<https://doi.org/10.1007/s00134-020-06312-y>

Download the document